fbpx

Isso aqui é mais um desabafo…

Eu prefiro não falar o meu nome por questões de segurança, mas quero contar a minha história. Em todas às vezes que contei minha história para alguém, fui julgado. Então antes de ler peço e imploro, não me julgue, a dor que eu sinto é bem real e preciso desabafar. Preciso também me abrir com outras pessoas, já que tenho muito medo de contar tudo o que eu passei e me xingarem.

Eu tenho um relacionamento com a minha irmã, já faz 17 anos. Sou 1 anos mais velho, crescemos em um lugar muito nobre, por isso meus pais me colocaram em uma escola muito boa, mas que tinha muita gente ruim e por isso, tinha só um amigo… Era muito unido com a minha irmã, eu adorava a companhia dela, naquela época só a amava como irmã mesmo, lembro de ter muito ciúmes quando um menino chegava perto dela. Mas foi na puberdade que tudo começou de verdade, lembro que um dia vi ela trocar de roupa, quando percebi levei um susto, pensei: “O que é que eu estou fazendo?!” eu estava excitado e aquilo me assustou. Quando me dei conta, percebi que estava apaixonado! Me senti anormal, quem ama tanto a irmã a ponto de querer namorar???? E olha que eu só tinha 13 anos!!!
Quando eu era adolescente, fui desabafar para o meu amigo, eu pensava que ele iria me apoiar ou algo do tipo, já que ele era meu único e fiel amigo (ao menos era isso que eu achava), ele me humilhou e me xingou de todas as formas, disse que eu retardado e demente, fiquei deprimido e depois daquele dia nunca mais vi ele. Depois descobri que minha irmã começou a namorar um garoto da escola, aquilo doeu em mim, eles ficaram juntos por alguns meses e se separaram, ele que tinha terminado (ele falou que gostava de outra). Minha irmã tinha ficado triste, mas no mesmo dia já tinha se conformado.
Tinham se passado mais meses e comecei a perceber que um clima estava acontecendo entre mim e minha irmã, ela ficava nervosa quando ia falar comigo, meu coração disparava, parecia coisa de filme de romance clichê (mas a diferença é que os filmes não falam sobre incesto). Eu já tinha 16 e ela 15, quando nossos pais viajaram para a França por uma semana e não levaram a gente, na visão deles nós já éramos “maduros” para ficarmos sós. No primeiro dia que ficamos sozinhos, fomos assistir juntos no sofá o filme “O Pequeno Stuart Little”, lembro dela encostando a cabeça no meu ombro, depois ela tinha me beijado!… eu tinha ficado tão, tão… “ASSUSTADO” eu tinha empurrado ela e ficamos numa situação constrangedora, ela ficava me pedindo desculpas a cada segundo. Fomos dormir em quartos separados, não conseguia parar de pensar naquilo: “Será que ela também gosta de mim, do jeito que eu gosto dela?”. No outro dia, bem de manhã, eu saí de casa e decidi que precisava fazer algo, comprei flores e voltei pra casa, eu ia me declarar, e soltar os meus sentimentos que estavam presos na minha garganta, foi naquele dia que ficamos juntos, 3 dias depois nós fizemos sexo. Foi aí que eu me dei conta que não devíamos ter feito aquilo, é muito errado!!! A gente jurou um pro outro que não ia contar para ninguém sobre o que aconteceu, mas depois de alguns meses juntos, nos separamos e eu tentei me matar, felizmente não sofri ferimentos graves. Tive depressão e comecei uma terapia, quando tinha 18 anos, abri o jogo para a psicóloga e adivinhe só, fui humilhado outra vez, as pessoas tem nojo de pessoas como eu!! Ficava irritado, falava coisas sem sentido e preconceituosas como: “Pode ter homem que casa com homem, mulher que casa com mulher, mas não pode ter dois irmãos que se amam e querem ficar juntos por vontade própria!”.

Em 2004 voltamos a ficar juntos, dessa vez, namorando. A gente já era maior de idade e falamos com os nossos pais e por incrível que pareça, nossos pais nos aceitaram. Mas mesmo assim, sofríamos muito preconceito, vizinhos viam a gente de mão dada na rua, às vezes se beijando, já até ameaçaram: “Se fizer de novo, tiro foto e vou na polícia!”. Diziam que éramos nojentos, que éramos monstros, que era estranho e não sei o que, então em 2006 nos mudamos para outra parte do Brasil, onde ninguém nos conhecesse, fizemos novos amigos e em 2008 tivemos uma filha, em 2014 tivemos um menino e em 2017 outro menino, nenhum dos nossos amigos sabem que nós somos irmãos, os nossos filhos sabem, mas já explicamos tudo para eles, é chato mentir para aqueles que nós confiamos, mas o medo de ser humilhado novamente, fala mais alto! Acredite se quiser, existe muito mais pessoas que passam o que nós passamos, de querer se relacionar com algum parente, nojo não é motivo para julgar alguém, hoje sou feliz com a minha vida, trabalho e estou conformado com o que eu tenho, mas dói não poder contar pro mundo que eu e minha irmã estamos juntos, temos medo da violência, medo de sermos presos, medo da nossa família ser separada, vivemos com essa insegurança e esse medo todos os dias, não queremos e não desejamos nada de ruim para ninguém! A gente só queria ser feliz e ser livre… tive que desabafar, obrigado se leu até aqui.

17
3
0
placeholder
agosto 4, 2021
masculino
1

  • Vamos nos permitir

    Histórias como a sua não será a primeira e nem será a última. Quem falou que é errado? Vocês se amam? São felizes? Creio que sim, porque você a aprovação de uma sociedade que diz e que acha que sabe como e quem devemos amar? Pelo jeito você tem uma família linda, que sabe a verdade e não julgam vocês, não se importe com pessoas que talvez não saibam o que é o amor, um amor como de vocês, que enfrentaram e enfrentam desafios diariamente, um amor que atravessou todas as barreiras e continuam aí florescendo.Você pode ver por aqui que nem todos são preconceituosos ou julgadores, a sua vida só interessa a você e a aqueles que você ama e que amam você, seja feliz, viva a vida plenamente com sua amada irmã. Bjs no seu coração.

  • Fernando

    Você tem tudo para ser feliz. Não ligue para o que a sociedade pensa nem o que as pessoas dizem. Você tem a sua vida e ninguém tem nada a ver com isso. Você tem a liberdade de fazer o que te der na telha. Não deixe comentários ignorantes te abalar nem estragar tudo o que construiu. Já li casos assim em livros, talvez eles possam ajudar a superar suas angústias. A literatura já tratou muito desse tema. Não desista do que te faz feliz. Tudo vai dar certo na sua vida, você só precisa acreditar. Todos nós temos nossos segredos, isso é normal. É importante você lidar com o que está te afligindo, encontrar um psicólogo ou amigo que não te julgue para desabafar e lidar com os seus sentimentos. Espero que fique bem e encontre a sua felicidade.

  • Tamyres Fontes

    Olá queridooo tudo bem?! Nossaa cara que história lindaaaa! No momento que liii fiquei um pouco surpresa confesso!! Mas ao mesmoo tempo encantada, nunca me deparei com uma história dessa então é tudo muito novo pra mim. Mas acredite eu jamaaissssss, jamaissss te julgaria, pelo contrário, eu sou a favor do amor!! E eu não tenho o poder nas mãos para fazer isso (Julgar). Na verdade me deu vontade de abraçar os dois rsrsr... Vivemos numa sociedade muito opressora ainda, estamos evoluindo muito lentamente! Mas eu aceito o amor de todas as formas!! Vocês merecem ser felizes!! Espero que um dia vocês possam mostrar o amor de vocês...Desejo muitas felicidades e muita luzz!! E que o amor seja cada vez mais abundante na vida dos dois!! Um grande beijo com todo meu amor ❤❤❤❤❤🙌🙌👊👊👊

Converse em tempo real

Login

Desabafe no Site

Cadastre-se

Crie uma conta no Sunas

Grupo de apoio

Entre no nosso grupo do WhatsApp

Login

Desabafe no site

Entre na Comunidade

Converse em tempo real

Grupo de apoio

Entre no nosso grupo do WhatsApp